Ter uma clínica de estética é mais do que simplesmente realizar serviços em troca de dinheiro: é preciso administrar bem as finanças. 

No entanto, muita gente quando entra no ramo acaba descuidando do lado financeiro e isso pode fazer com que a pessoa passe por problemas de falta de dinheiro, o que muitas vezes acaba provocando a falência da empresa. 

Nesse contexto, para te ajudar nesse aspecto, fizemos este artigo com algumas dicas sobre crescimento sustentável na estética e como alcançá-lo, confira abaixo!

O que é crescimento sustentável?

Todo mundo sabe o significado de crescer, que é tornar maior. Nesse contexto, no caso de empreendimentos comerciais, o crescimento sustentável pode significar, por exemplo, aumentar a receita da empresa, aumentar o lucro que entra e diminuir os gastos desnecessários. 

No entanto, se formos levar ao pé da letra, crescimento sustentável nada mais é do que o resultado de práticas administrativas que visam fazer com que a empresa receba mais dinheiro do que gasta, isso tudo sem diminuir a qualidade do serviço prestado.

Sendo assim, crescimento sustentável parece fácil, não é? No entanto, apesar de até parecer uma prática intuitiva, pois todo mundo abre um negócio pensando em receber mais dinheiro do que gasta para manter o negócio funcionando, grande parte dos empresários não conseguem fazer isso. 

Seja por gastarem muito na vida pessoal, por não conseguir precificar os produtos de forma correta ou por qualquer que seja o motivo. Por isso, abaixo, separamos algumas dicas de como você pode fazer isso.

Separe as contas da clínica e as pessoais

As suas contas pessoais não podem ficar misturadas com as contas da empresa. Isso porque, apesar de parecer mais fácil deixar todo o dinheiro em um só lugar e pagar por tudo de uma vez só, isso pode fazer com que você se confunda com o valor que pode gastar na sua vida pessoal, o que pode fazer com que falte dinheiro na empresa. 

Sendo assim, é importante que você deixe as contas separadas e use o seu dinheiro para pagar as suas contas e o dinheiro da empresa para pagar as contas da empresa. 

Defina um pró labore para você e para os sócios

Para controlar os gastos, nada melhor do que definir para os sócios um pró labore, que nada mais é do que um salário mensal fixo. 

Nesse contexto, ter um valor fixo mensal pode te dar a segurança e estabilidade nas suas contas pessoais, pois te dá um limite de gastos e, assim, mais facilidade de separar as suas contas pessoais das contas da clínica. 

Além disso, fica mais fácil colocar esse valor como despesa fixa da empresa e facilita que você tenha realmente lucros e possibilidade de fazer reinvestimento no negócio.

Faça um bom fluxo de caixa

Uma coisa que ajuda muito no controle da saúde financeira de uma empresa é o fluxo de caixa. Isso porque é através dele que é feito o diagnóstico de como as finanças estão se comportando, do que é preciso melhorar e, possivelmente, de como fazer para melhorar a área financeira. 

Por exemplo, dá para saber qual é o serviço que mais é contratado na sua clínica, quanto você costuma ganhar em média por dia, qual é o dia da semana que é mais movimentado, qual é o dia da semana mais parado, entre outras coisas, que podem te ajudar, por exemplo, na hora de criar uma promoção. 

Tenha consciência de quanto dinheiro você precisa para manter a sua empresa

Por mais simples que a sua empresa seja, ela tem gastos mensais, por exemplo, com material de trabalho, aluguel, salário de funcionários (e o seu próprio), água, luz, internet, programas de computador, contador, o pote de doces que fica na recepção e qualquer outra coisa que custe dinheiro. 

Nesse caso, é importante que você procure separar essas despesas em duas categorias, as despesas fixas (que são os salários, aluguel e coisas que você precisa pagar constantemente) e as variáveis (por exemplo, um serviço de reparação que foi feito uma só vez, um equipamento novo que não precisa de reposição constante). 

Assim, você vai ter mais controle de quanto gasta.

Aprenda a precificar os seus serviços

Muita gente deixa de ganhar muito dinheiro pelo simples fato de que, por querer cobrar um preço abaixo do valor de mercado, não pede o valor real do seu serviço, tendo, muitas vezes, que praticamente “pagar para trabalhar”. 

Isso acontece pelo simples fato de que um serviço não custa apenas o valor do produto que é usado nele, mas também é preciso tirar uma parte da execução de cada serviço para pagar por despesas como salário dos funcionários, aluguel, água, luz e toda e qualquer conta relacionada com a manutenção da estrutura do seu serviço.

Nesse contexto, é muito importante que você tenha consciência das despesas fixas que você tem mensalmente com a empresa e que seja capaz de inserir o valor delas em todos os serviços que for prestar. 

Por exemplo, caso você precise de R$ 3.000,00 mil reais mensais para manter a sua empresa e você trabalha 20 dias em um mês, por dia, R$ 150,00 reais do que você ganha vai ser para as despesas. 

Nesse contexto, caso você faça, por exemplo, 5 procedimentos por dia, aproximadamente R$ 30,00 reais de cada procedimento é para pagar pelas despesas fixas e você deve levar isso em consideração.

Planeje o seu financeiro a curto, médio e longo prazo

Mais do que saudável financeiramente, o planejamento de curto, médio e longo prazo é necessário para manter uma empresa de portas abertas. 

Nesse contexto, é importante que você se organize o suficiente para criar métricas mensais e anuais e que você se organize constantemente para atingir essas métricas. Assim, tendo como base um planejamento, você vai saber exatamente qual é a situação do seu negócio e vai ter condições de propor mudanças de estratégias de marketing e de finanças caso seja necessário para melhorar o futuro da clínica.